SEPARAÇÃO - parte II - MEU LADO DA CAMA

sexta-feira, fevereiro 20, 2015

Google imagens

Hoje faz um mês da nossa decisão.

Exatamente um mês atrás escrevi o seguinte texto:


"Tô tranquila.
Chorei, não nego!
Vou chorar mais, com certeza...
É um jeito bom de aliviar esse aperto no peito e o embrulho no estômago que está me tirando o apetite!
Gostaria de dizer que estou bem, afinal estamos nos separando "numa boa", sem brigas, desrespeito, nem ofensas ou agressões... mas não posso! O sentimento de fracasso está acabando comigo.
Está difícil até pra escrever...
Mas estou mantendo a rotina, acordando (e levantando, isso é importante!) cedo - às 7:00h hoje! - me alongando e escrevendo pro blog. Depois que as crianças acordam, minha atenção se volta pra elas e pro preparo do almoço.
À tarde, quando eles tiram um cochilo e a casa silencia, é que bate um pouco de tristeza... Fico tentando imaginar como vai ser daqui pra frente e não consigo me entusiasmar, mas também não estou pensando em desistir.
Enfraqueci apenas... Não desmontei.
Estou um pouco perdida é verdade, me sentindo estranha, uma sensação equivalente a estar de pé em cima de uma cadeira e de repente quebra uma das pernas dessa cadeira... Tipo isso!
Consigo me equilibrar mas se eu bobear, me estatelo no chão!


Para cada coisa que eu fazia (que tinha a ver com a gente) eu começava a imaginar que dali uns dias seria diferente...

Trocando a roupa de cama, por exemplo, pensei que da próxima vez teria apenas uma fronha pra trocar...


Não sei se um dia terá volta e nem quero pensar nisso agora... Preciso colocar meus pensamentos em ordem, replanejar meu dia-a-dia e minha vida.



Agora me dá licença que vou me permitir uma recaidinha rápida, ir ali no cantinho chorar e já volto..."


__________ __________ __________


Dia 31 ele saiu de casa. Pegou suas coisas (pelo menos o essencial para o começo) e então se despediu me beijando a testa.

Neste dia minha mãe mostrou-me o jornal onde meu horóscopo dizia:


"Nada, verdadeiramente, pode ser controlado em absoluto. Todos nós fazemos tentativas para manter o mínimo domínio sobre a vida. Porém, acabam acontecendo coisas que não estão estavam dentro dos planos." - horóscopo Zero Hora 31/01/2015.


Tentei manter a tranquilidade e agir naturalmente porque ainda não havia contado aos meus pais, embora parecesse que eles estavam entendendo tudo o que estava acontecendo...

Acordar no dia seguinte e não vê-lo em casa deu um frio na barriga... E então caiu a ficha:
Eu estava separada!
Até quando eu sentiria aquele vazio ao acordar?
Aquela sensação de desequilíbrio voltou (o lance da cadeira com três pernas...), fiquei tonteando pela casa, de um lado para o outro como que procurando alguma coisa sem encontrar, mesmo no horário que ele costumava não estar em casa...
Desanimei...
Mas não desabei! \o/

A noite chegou, as crianças dormiram, cada um na sua cama e também fui me deitar.
Mesmo tendo a cama toda só pra mim e apenas um travesseiro, dormi no meu lado da cama...

E só me dei conta disso de manhã!


Até a próxima! o/
.

You Might Also Like

4 comentários

  1. Lendo.... esse post me deixou mais triste ainda... =/
    Vamos aos proximos atrasados... espero que esteja bem!

    bjs

    fernandamouta.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Estarei...
    Sempre preocupada com os outros, mesmo não conhecendo... Sou uma privilegiada! \o/

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  3. Tudo vai ficar bem,foi o melhor para vocês dois e para as crianças também!Parabéns pela atitude de conversar civilizadamente,sem desrespeito nenhum!Por incrível que pareça,brigas e discussões sempre afetam as crianças,as podendo deixar agressivas ou até mesmo rebeldes!

    https://guriadomodoantigo.wordpress.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, Radija!
      Foi a melhor decisão que tomamos.

      Um beijo.

      Excluir

Não saia sem comentar!
Sua opinião é sempre bem-vinda e importante pra mim e pro blog.
Responderei a todos os comentários.

Obrigada pela visita.
Volte sempre!