ESQUENTA PARA O BEDA # 1 - EU MESMA

sábado, fevereiro 04, 2017



Oi Gurias e Guris!


Esse é mais um projetinho muito tri lá da parceria entre os grupos Interative-se e Café com Blog, que consiste em ajudar as blogueiras que gostam de encarar desafios como o BEDA aff, esse bicho de novo!

Para isso pegamos o "Desafio dos 30 dias", dividimos em 3 partes, com 10 temas cada uma, para as gurias irem se preparando e pegando o ritmo pesado do BEDA.

Ainda não sei se vou encarar, de fato, os dois desafios - da última vez até que me saí relativamente bem tentando postar todos os dias - mas como estou voltando a blogar aos poucos, talvez eu aproveite alguns temas do "Esquenta". Esse é o primeiro deles.

Vou tentar não me prolongar muito porque não gosto de falar de mim mesma mas depois que começo... não consigo parar mais! Contraditório, eu sei, mas sou dessas. E essa é só uma das minhas facetas.

Sem contar que são 40 anos pra descrever, né? Então talvez sejam necessárias a parte 2, 3, 4... hahahaha


Ok!
Tudo começou em 1976, mais precisamente quando minha mãe ajoelhou-se em prece diante da imagem de Nossa Senhora Aparecida com o encaminhamento para baixar no hospital em mãos, pedindo um sinal para que pudesse tomar a decisão certa: me tirar ou não me tirar.

Ela estava com quase 6 meses de gravidez e havia descoberto que as bolhas espalhadas pelo seu corpo eram da rubéola... O médico a alertou dizendo que eu poderia nascer cega, surda, muda, com alguma "atrofia" nos membros ou com tudo isso junto!

Terminada a oração, minha mãe fez o sinal da cruz, levantou-se e ao dar as costas para a santa... eis que eu comecei a pular, pular e pular dentro da barriga dela, coisa que até aquele momento eu não havia feito. Ela pensou: "Esse é o sinal" - rasgou o papel da baixa e foi pra casa. Conversando com o médico depois, ele deixou bem claro que a responsabilidade seria toda dela.

Então, dia 21 de Outubro eu nasci, sob o signo de Libra (penúltimo dia) a paz em forma de pessoa, pelo menos durante a infância. Minha mãe sempre dizia que fui uma mosca morta criança que não deu trabalho...

Com 40 dias de vida fiz minha primeira viagem de avião, fomos morar em Foz do Iguaçu no Paraná. Lá, antes de completar 6 meses de idade, comecei a perder as unhas das mãos e dos pés... e fui diagnosticada com uma anemia profunda, quase leucemia (como disse minha mãe) e precisava de transfusão de sangue urgente! Assim ganhei um "irmão de sangue" que era colega de trabalho do meu pai.

De volta a Porto Alegre, entre meus 5 e 6 anos de idade, meus pais descobriram que eu não enxergava do olho esquerdo, tinha catarata congênita - sequela da rubéola durante a gravidez da minha mãe - precisava de cirurgia e usar uma lente de contato de 18 graus...

Tirando isso fui mesmo uma criança que não deu trabalho, uma adolescente que passou a discordar um pouco das opiniões da mãe e uma adulta completamente aparentemente problemática... hahahaha

Uma coisa que sempre gostei de fazer foi namorar (isso fez meu filme ficar meio queimado entre alguns de nossos familiares), inclusive tive pelo menos um namorado ou "peguete" em cada um dos empregos que eu tive! Até comentei com algumas amigas, há um tempo, que desde os meus 15 anos, entre relacionamentos que duraram de 3 meses até 9 anos... foram 10 ao todo! Se não me esqueci de nenhum... hahaha e sem contar as figurinhas repetidas!

Estudar nunca foi o meu forte então só completei o ensino médio. Tentei o vestibular UMA VEZ, aos 24 anos, pra Letras, mas não passei. Mesmo assim, eu curti a "festa das tintas" do cursinho pré-vestibular que eu fiz... Foi uma das melhores épocas da minha vida. Dinheiro jogado fora??? Muito pelo contrário! Aprendi muito, ri muito, conheci muita gente... Valeu a experiência meeesmo!

Hoje ainda estou desempregada, mas já fui operadora de caixa em supermercado, atendente de cafeteria em shopping, auxiliar de escritório, secretária, frentista... Nunca completei 1 ano de trabalho, costumava dizer que minhas férias eram sempre "antecipadas e por tempo indeterminado"...

Mas isso foi até eu começar a trabalhar como cobradora de ônibus, que foi o meu último emprego onde fiquei por 8 anos e meio e sinceramente, apesar dos contratempos (alguns estresses com colegas, com passageiros e 2 assaltos) foi o melhor emprego já tive!

Aos 31 anos me casei (com um colega de trabalho... hahaha) e fui a mulher mais feliz do mundo por uns bons 6, 7 anos... E então acabou!

Fui mãe 1, 2... 3 vezes!!! Isso não é segredo pra ninguém, tô sempre falando dos meus filhotes, né?

Da minha depressão também não preciso falar e nem quero, pois cada vez que paro pra pensar, eu percebo que os sintomas começaram cada vez mais cedo. Deixa pra lá!

E então eu fiz 40 anos...
Embora a maioria das pessoas diga que eu não aparento a idade que tenho, reconheço bem as minhas rugas e meus cabelos brancos camuflados com tinta! Agora sou uma mulher DDDD - Depressiva, Desempregada, Divorciada e De 40. Piadinha infame, eu sei, mas sou assim também. Tiro sarro de mim mesma antes mesmo que alguém pense nisso hahahaha

Prezo por meu senso de humor mas sempre encontro alguém insuportável com uma energia muito ruim que acaba com ele e me deixa muito puta mal humorada.

Tenho ciúme dos meus filhos e da maneira como minha mãe trata uma das minhas irmãs (a preferida! hahaha) não procuro quem não me procura a não ser que bata a saudade, tenho mente podre e sou muito desbocada...

Sou desapegada de coisas materiais mas quando meu notebook escangalhou... Que tristeza! Doeu, viu?

O meu estilo não é importante mencionar pois o mostro cada vez que publico um post por aqui,  né? Gosto de tudo um pouco, quase todos os tipos de música (assim, sou daquelas que muitas vezes gosta de apenas UMA música de uma banda, sabe?) e de filmes menos terror, gosto de ler mas não sou viciada... Adoro amo várias coisas mas nunca me considerei uma aficcionada... apenas quando se trata de Robin Williams e Sandra Bullock! E quando de trata de roupas ou calçados tem muita coisa que eu gosto mas nos outros, não em mim.

Sou completamente sem frescura (só não gosto de cebola, eca!) o que para os olhos de alguns pode parecer baixa autoestima ou falta de vaidade... Gente! Eu não vou ficar depilando o que não vou usar, né? FAZFAVOR!!! hahahaha

Essa sou eu: mulher, filha, mãe, blogueira por terapia... Uma libriana em perfeito desequilíbrio, em constante contradição... hahahaha


Acho que tá bom, né?
Espero que tenham gostado pois eu gostei muito de escrever e me mostrar um pouquinho mais...


Até a próxima! o/
.

You Might Also Like

18 comentários

  1. Respostas
    1. Fico muito feliz, Anna!
      Muito obrigada.

      Um beijo.

      Excluir
  2. Estou rindo até agora.kkk Apesar das coisas tristes e que temos em comum sabe, ah você sabe eu acho que você viveu intensamente e ainda vive intensamente e passa isso pra gente. Não sabia dessa história do seu nascimento, eu também poderia não ter vindo ao mundo, não por motivo de doença mas minha mãe também optou por me deixar na barriga. Ela sofreu muito na época, gente até isso temos em comum.
    Fora essas partes, eu ri muito. Você é demais amiga! bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que coisa né, Ciana?
      Tão distantes e com tanto em comum...
      Muito obrigada.

      Um beijo.

      Excluir
  3. Taís, que post mais gostoso de se ler!
    O que mais me encantou foi o modo como você descreve tudo o que passou com um toque de humor. Acho que todo mundo deveria agir assim, pelo menos uma vez na vida, para não dizer sempre. Faz bem rir de si mesma mesmo quando as coisas não dão certo, parece que alivia, não sei explicar haha Mas é que se nos deixarmos abater por tudo e levarmos tudo à sério demais, a vida se torna cansativa e é até difícil seguir em frente.
    Amei essa frase: "Tiro sarro de mim mesma antes mesmo que alguém pense nisso". E não consigo encontrar outra forma de descrever isso que não seja: é o jeitinho Brasileiro ahah
    Mas é que como morei um tempo fora percebi o quanto sinto da falta do Brasil, das pessoas que vivem lá e da nossa capacidade de sorrir, sambar e achar graça até quando tudo dá errado haha
    Beijos e continue assim! <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Kimberly!
      Nada como passar um tempo fora do Brasil pra perceber as diferenças, né?
      Quanto às coisas darem errado... dói na hora, claro! Mas depois a gente tem que achar graça mesmo, é quando percebemos as bobagens que fizemos ou até que não foi tão ruim assim "dar errado". É como dizem: às vezes é livramento! hahaha
      Vou tentar continuar assim ;)
      Muito obrigada.

      Um beijo.

      Excluir
  4. acho que nao poderia ser mais completo hauahuahua
    adorei tua historia! toda bichada quando pequena, tadinha ahhah
    sabe que eu só tinha cara de bichada =/

    acho que nao foram tantos namorados assim, quero dizer... acho uma quantidade normal... em 11 anos tive 4 e 7 anos é com o mesmo... quando tava solteira nem conto os "peguete" por que acho que nao tenho dedo pra isso hauahuahauha

    mas tirar sarro de si mesmo é essencial!!!

    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Completo nada, Nana... ainda faltou coisa! hahahaha
      E bichada eu sou até hoje!!!
      Se namorar é bom, tirar sarro de si mesmo é melhor ainda e concordo contigo: é essencial!
      Muito obrigada.

      Um beijo.

      Excluir
  5. O post já começa com uma foto linda, fotografia P&B e show!! E segue com uma história de vida sensacional. Sou dessas também, me já tiro sarro da minha cara pra não dar chance pros outros :) E acho que quando a gente entra nos 40 tudo fica mais simples, mas fácil, mais natural. Bôra viver a vida cheia de alegria, porque pelo que você escrever, apesar do DDDD você sabe viver feliz. Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depois dos 40 vemos a vida de um jeito menos melodramático né, Cilene? hahahaha
      Muito obrigada.

      Um beijo.

      Excluir
  6. Eu não sei se já estou preparada para o esquenta do BEDA huahua, sei nem se tenho muitas ideias para posts!
    Temos três coisas em comum: blogueiras, depressivas e librianas uhauhua

    bruna-morgan.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Esquenta é apenas um treino para pegarmos um pouco de ritmo e então encararmos o BEDA, Bruna.
      Nem sei se vou fazer mais algum post do Esquenta mas pra encarar o BEDA, eu definitivamente, não estou pronta! hahaha
      Legal termo algumas coisas em comum, com exceção da deprê, né? hahaha

      Um beijo.

      Excluir
  7. Interessante a sua postagem. Não sei se conseguiria participar...
    Quero te convidar para visitar o meu blog Café Feminices, estava parado e resolvi reativar. Tem um texto para leitura e debate lá - semana da mulher - se puder deixe sua opinião. Bjs

    http://cafefeminices.blogspot.com.br/2017/03/mulheres-que-reclamam.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Anabela!
      Tentar a gente tenta, né? Mas se haverá êxito? Nunca saberemos... hahahaha

      Um beijo.

      Excluir
  8. Mas que bela criatura tu é!!!! Sua história daria um livro hein
    Nem conhecia teu blog, meu primeiro contato foi este post e olha, logo com tua história.

    A gente passa por cada perrengue na vida, mas ela é assim, muito loka.
    O mais bonito disso tudo é ver sua força, por tudo que passou, e seguir em frente e o melhor com bom humor, até porque se a gente se entregar ao momento não vai apreciar o que o futuro nos reserva.

    Muita fé!!!!
    xerão
    Que você conquiste muito mais, para ter mais história pra contar.

    http://rascunhosehistorias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amei teu comentário, Léa!
      Foi um post que eu relutei um tanto pra fazer, mas depois me senti muito bem com ele.
      Muito obrigada, de coração.

      Um beijo.

      Excluir
  9. Amei ler um pouquinho sobre você, Tais. Achei tua história tão diferente da maioria das blogueiras, num sentido de ser mais pé no chão, sincera, com os pontos altos e baixos. Achei interessantíssimo seu emprego favorito ter sido de cobradora, você podia contar um pouquinho mais sobre isso. Acho que é uma profissão que a gente não pensa muito a respeito e deve ser um relato totalmente único.
    Acabou não fazendo o BEDA né? Eu também não tive o pique, rs. Admiro quem tenha, mas arrumar conteúdo e escrever todo dia, para mim, seria impossível.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada pela visita, Kari! <3
      Fico feliz que tenha gostado da minha história (um pouco dela) e já me pediram para contar sobre como trabalhar de cobradora... Talvez seja bem interessante mesmo escrever a respeito. Prometo que pensarei no assunto hahaha
      Participei de um BEDA em Agosto do ano passado, foi bem legal, mas esse ano... não tava no clima.
      É bem complicado mesmo.

      Um beijo.

      Excluir

Não saia sem comentar!
Sua opinião é sempre bem-vinda e importante pra mim e pro blog.
Responderei a todos os comentários.

Obrigada pela visita.
Volte sempre!